Fundo de Financiamento
Estudantil
  • Veja como Funciona
  • Aditamento FIES - Orientações
  • Informações sobre Contrato
O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) oferece aos brasileiros uma ótima oportunidade de realizar o sonho da graduação, sem pesar no orçamento. Assim, o financiamento Fies torna a universidade mais acessível, por contar com baixas taxas de juros — zero, em alguns casos — e pagamento facilitado.
 
Essa é uma iniciativa do governo federal, que permite o custeio do curso superior em universidades da rede privada de ensino. Não se trata de uma bolsa de estudos, pois os estudantes devem pagar pelo curso após a sua conclusão.
 
As condições e o valor a ser contemplado pelo programa dependem de algumas modalidades específicas. Os critérios são definidos pelo Ministério da Educação (MEC).
 
Neste post, você entenderá melhor como funciona o Fies, quem pode participar do programa, como se inscrever e algumas considerações para saber se ele é a melhor opção para o seu caso. Boa leitura!
 

COMO FUNCIONA O FIES?

Para solicitar o Fies, é preciso fazer um requerimento e apresentar a documentação correspondente. Ao longo da sua trajetória, o programa passou por muitas mudanças. No modelo atual, é preciso observar as modalidades de concessão, que direcionam as condições para o benefício. Conheça cada uma delas.
 

MODALIDADE I

Os candidatos com renda mensal per capita de até 3 salários mínimos se enquadram na primeira modalidade. Ela é financiada pela União e tem juro zero. O aluno começa a pagar pelo curso conforme a sua capacidade financeira.
 

MODALIDADE II

Alunos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil, com renda familiar de até 5 salários mínimos por pessoa, entram nesse grupo. O provimento é pelos Fundos Constitucionais e de Desenvolvimento.
 

MODALIDADE III

Brasileiros de outras regiões que tenham renda de até 5 salários mínimos por pessoa do grupo familiar contam com o financiamento mantido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
 

CATEGORIAS

Além dessa divisão, que segue os critérios de renda e localização, ainda existem as categorias do financiamento Fies. São elas:

  • Fies

Essa categoria é específica para candidatos com renda de até 3 salários mínimos por pessoa do grupo familiar e tem juro zero;

  • P-Fies

Tem juros variáveis e condições de concessão definidas entre o banco, a instituição de ensino e o aluno.
 

QUEM PODE PARTICIPAR?

Apesar de se tratar de um programa muito acessível, existem condições específicas para poder participar da seleção. Confira os critérios básicos do financiamento Fies.
 

PESSOAS QUE FIZERAM ENEM

A realização do último Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é obrigatória para quem quer pleitear o financiamento estudantil. É necessário que a nota na prova objetiva seja igual ou superior a 450, e que o candidato não tenha tirado zero na redação.
 
A seleção depende, também, do desempenho obtido no exame. Portanto, quanto mais alta a nota, maiores as chances de conseguir o benefício. Quem não tiver sido aprovado na primeira chamada vai automaticamente para a lista de espera.
 
Outra exigência é que o curso desejado seja reconhecido pelo MEC. Caso o candidato tenha bolsa parcial do Programa Universidade para Todos (ProUni), também pode financiar o restante do valor, desde que atenda às demais condições.
 

RENDA DE ATÉ 5 SALÁRIOS MÍNIMOS

Como vimos, a renda familiar também é avaliada para a participação no Fies. Todas as informações devem ser comprovadas por documentações específicas. Além do teto, também é necessário ter a renda mínima de um salário vigente por pessoa no grupo familiar para ser beneficiado.
 
Para o cálculo, são somados os rendimentos de todos os membros da família e, depois, o valor é dividido pela quantidade de integrantes. Com isso, se tem o valor per capita, que é a média do grupo.
 
Assim, se em uma família o pai e a mãe recebem, cada um, R$6.270,00 (6 salários mínimos, em 2020) e o candidato não tem renda, a conta fica da seguinte forma: R$6.270,00 (salário do pai) + R$6.270,00 (salário da mãe) + R$0 (salário do filho) = R$12.540,00 (renda familiar total). O resultado dividido pelo número de integrantes da família fica: R$12.540 ÷ 3 = R$4.180,00.
 
Portanto, no exemplo acima, a renda familiar por pessoa é de R$4.180,00, que é equivalente a 4 salários mínimos, em 2020. Com isso, o candidato está apto a participar da seleção.
 

COMO SE INSCREVER NO FIES?

As inscrições para o Fies acontecem duas vezes ao ano, a cada início de semestre. Por isso, é preciso acompanhar os editais. Para fazer parte da seleção, é necessário acessar o site do Fies dentro do prazo estipulado e prosseguir com a inscrição. Na página, o candidato deverá preencher todas as informações solicitadas e seguir as orientações posteriores.
 
Além disso, atendendo aos requisitos básicos, é possível solicitar o Fies durante o curso. Não é uma obrigatoriedade ser calouro para conseguir o financiamento. As vagas não preenchidas na primeira chamada são concedidas pela sequência de alunos na lista de espera, com exceção da categoria P-Fies, que não conta com vagas remanescentes.
 
Fonte: Blog da UVA

FIES - ORIENTAÇÕES SOBRE  OS ADITAMENTOS (RENOVAÇÃO)

Prezado estudante, estão sendo realizados os aditamentos (renovação) do FIES, para aqueles que contrataram o FIES a partir do ano de 2010 até o 1º semestre de 2012.

Leia as orientações Passo a Passo, pois a não confirmação do aditamento pelo estudante no prazo estabelecido, implicará no cancelamento do FIES.

1º PASSO:

Quem realiza a solicitação do Aditamento (renovação) do FIES?

A solicitação do aditamento é realizada pela CPAE/CPSA (Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento).

A CPSA/CPAE fará a solicitação, ALTERANDO SOMENTE os valores referente a semestralidade com desconto, sem desconto e a atual com desconto, de acordo com o número de créditos que o estudante está matriculado no sistema acadêmico da UNESC.

2º PASSO

O que o estudante deve fazer para confirmar seu aditamento?

Após iniciada a solicitação pela CPSA/CPAE o aluno receberá um comunicado automático do sistema do FIES via e-mail, sendo este o que o estudante cadastrou no sistema do FIES, informando que a CPSA solicitou o aditamento.

Para concluir a solicitação o estudante deverá acessar o endereço www.sisfiesportal.mec.gov.br, na aba ADITAMENTO DE CONTRATO, informando o nº do CPF e a senha, conferir as informações e os valores da semestralidade já devidamente informados pela CPSA/CPAE e, estando de acordo confirmar o aditamento.

Lembramos que para o estudante confirmar o aditamento tem o prazo de 20 dias, após a solicitação pela CPSA, caso o estudante não confirme, o Aditamento será cancelado automaticamente pelo SISFIES por decurso do prazo do estudante.

3º PASSO

O Estudante confirmou o aditamento, qual o próximo passo?

Após a confirmação pelo aluno, o mesmo deverá verificar que tipo de aditamento que foi gerado, que poderá ser do tipo SIMPLIFICADO OU NÃO SIMPLIFICADO.

No caso de ADITAMENTO NÃO SIMPLIFICADO, o aluno deverá obrigatoriamente comparecer a CPSA/CPAE para assinar e retirar a DRM (Documento de Regularidade de Matrícula) e comparecer no Banco para regularizar sua situação no prazo estabelecido pelo FIES e após o estudante deverá apresentar para a CPSA/CPAE o Termo Aditivo original emitido pelo banco, para que o aditamento seja concluído.

Caso o aditamento for do tipo SIMPLIFICADO, o estudante deverá comparecer à CPSA/CPAE, somente para retirar a DRM, sendo que o aditamento já está concluído.

Os aditamentos dos estudantes que contrataram o FIES anterior ao ano de 2010 no Sistema Antigo do FIES (SIFES), já foram concluídos pela CPSA/CPAE, não se aplicando desta forma os procedimentos acima descritos.

Lembramos que de acordo com a legislação do FIES, para que o estudante possa concluir seu aditamento o (s) fiador (es) e o estudante não poderão apresentar restrições cadastrais (SPC, SERASA, CADIN (Cadastro informativo de créditos não quitados) e outros, somente será possível concluir o aditamento após a regularização da situação.

Os estudantes que apresentarem problemas no momento da confirmação do aditamento deverão contatar a Central de Atendimento FIES - fone: 0800 616161

Detalhamento é válido para financiamentos concedidos a partir de 2018

Responsável pelos cronogramas dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) concedidos a partir de 2018, a Caixa Econômica Federal publicou orientações sobre a renovação e a manutenção dos contratos. São informações detalhadas sobre renovação semestral, suspensão temporária, transferência integral de curso e de instituição, dilatamento de prazo e encerramento antecipado.

As explicações estão na circular n° 895, publicada na edição desta quinta-feira, 16 de abril, do Diário Oficial da União (DOU).

O documento detalha a Portaria nº 209 do Ministério da Educação (MEC), que trata das regras e procedimentos do Fies. De acordo com o texto, todos os procedimentos de manutenção do contrato do estudante devem ser realizados por meio do sistema SIFES. Os aditamentos devem seguir os valores dos semestres do curso informado pela mantenedora da instituição superior de ensino no sistema FiesOferta, do MEC, no processo seletivo correspondente à contratação do financiamento.

Em situações de aditamento não simplificado, que é quando há alterações nas cláusulas do contrato, como mudança de fiador ou transferência de curso, é obrigatório que o aluno apresente documentação comprobatória de veiculação à agência Caixa para finalizar a renovação. Para aditamentos simplificados, a renovação é feita por meio de validação no sistema.

O aditamento só é permitido caso o estudante esteja em dia com os pagamentos do boleto único. Para regularizar casos de inadimplência, o estudante deve dirigir-se a uma agência da Caixa ou acessar o SIFES para emissão de novo boleto. Pedidos de dilatamento de prazo, suspensão, transferência de curso e de instituição e encerramento antecipado também são solicitados pelo sistema.

O texto não vale para os financiamentos concedidos até dezembro de 2017, pois o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) é o responsável pelos contratos mais antigos.

Fies – O Fies é um programa do MEC que tem como objetivo conceder financiamento a estudantes em cursos superiores não gratuitos, com avaliação positiva nos processos conduzidos pelo ministério e ofertados por instituições de educação superior não gratuitas aderentes ao programa.

O programa é dividido em duas modalidades: 1ª - Fies a juros zero para quem mais precisa (renda familiar de até três salários mínimos por pessoa); e 2ª - Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies), para renda familiar per capita de até cinco salários mínimos, com taxas estipuladas pela instituição financeira — privada ou banco regional de desenvolvimento.

Fonte: FNDE


× Atendimento